sexta-feira, 30 de julho de 2010

Pantene - Anti - Caspa

Muito bom! Ideia genial da pantene para comunicar o seu shampoo anti-caspa.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

D.Vice - Sex Toys



Campanha muito engraçada da D.Vice, loja online para adultos.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Torke - Bingo do Chavão

Criatividade da Torke ao mais alto nível.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Salsiçor - Prepare a brasa para o seu churrasco


Campanha verão 2010, da Salsiçor.

Imagem retirada daqui.

Lomba Racing 2010

Não sei quem é que assina como "o grande imaginário", mas que fez um bom trabalho de design, lá isso fez!

Imagem retirada do vizinho Candilhes.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sata - Concurso de Publicidade

"A SATA, companhia aérea dos Açores, decidiu levar a concurso a sua conta de publicidade, apurou o M&P. A agência que sair vencedora da consulta ao mercado ficará responsável por toda a comunicação publicitária da marca, até aqui trabalhada pela DraftFCB, que ganhou a conta em 2007 também através de concurso. Na altura, o contrato celebrado entre a marca e a agência teve a duração de três anos, estando agora a chegar ao fim, e visava “todas as campanhas institucionais e de comunicação above e bellow-the-line”. De acordo com fontes ouvidas pelo M&P, o concurso agora lançado está aberto a propostas até ao próximo dia 6 de Agosto e visa “trabalhar e gerar maior notoriedade nos novos mercados e rotas e fortalecer a ligação com os mercados mais estabelecidos”, sendo que o contrato a estabelecer terá a duração de dois anos, a arrancar no início de 2011, momento em que terminará a parceria com a DraftFCB. O M&P sabe que terão sido contactadas para disputar a conta a DraftFCB, a Ivity, a Brandia Central, a Grey, a Lowe Ativism, BBDO, Partners, Y&R, a HDG Açores e a Sino."

Fonte: Meios & Publicidade.

Santa Maria - Ilha do Sol


Campanha de promoção turística de Santa Maria, a ilha do sol.

Imagens retiradas daqui.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Pilot - Water Resistant

Anúncio da marca de canetas Pilot com tinta à prova de água.

terça-feira, 20 de julho de 2010

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Senac - Curso de Magia

Ideia genial. Mais um bom exemplo em que o meio escolhido para a acção se encaixa perfeitamente no produto/serviço que se pretende comunicar. Ambient marketing rules!!

quinta-feira, 15 de julho de 2010

BES Açores - crédito 30.000 €

Forma simples e eficaz que o BES Açores encontrou para comunicar o crédito individual que pode ir até 30.000 €.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Portvgália - Rebrand

A famosa cervejaria entrou em processo de rebrand. 14 milhões de euros vão ser investidos na nova identidade corportiva e na remodelação dos restaurantes.

Feira Lagoa 2010

Em que estava a pensar o designer que desenvolveu este conceito criativo? Desde quando isto lembra uma feira de actividades económicas? Cheira-me a "faz qualquer mer** pra despachar isso!".

terça-feira, 13 de julho de 2010

O spot de tv do momento...



Muito bom!

Remember #17



Spot de tv do Citroen CX. Anos 80.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Promoção dos Açores - Onze empresas excluídas no concurso de 30 milhões

A adjudicação da campanha de promoção do destino Açores continua a dar que falar:

"O facto de nenhum dos onze concorrentes ao concurso público de adjudicação da campanha de promoção do destino Açores nos próximos três anos, no valor de 30 milhões de euros, preencherem os requisitos do concurso público internacional, está a provocar um compasso de espera “preocupante” que está na origem de um “descontentamento crescente” das empresas ligadas ao turismo desde os hoteleiros às que se dedicam a actividades de animação. “Está a fazer-se muito pouco em termos de promoção e isso é muito mau em ano de crise quando outros destinos lançaram fortes campanhas para recuperarem turistas perdidos”, afirma um dos empresários. O ‘Correio dos Açores’ foi à procura das razões para o cancelamento do concurso público.

A exclusão dos onze concorrentes ao concurso público internacional de aquisição de serviços para definição de uma estratégia de comunicação, produção, planeamento e compra de meios para a campanha de comunicação do destino Açores para o período 2010-2012, no valor de 30 milhões de euros, criou uma situação embaraçosa ao governo açoriano por se traduzir num processo moroso numa altura em que o arquipélago deveria estar a lançar uma forte campanha promocional em mercados tradicionais emissores de turistas.
Este compasso de espera na promoção do destino Açores está a criar algum descontentamento de hoteleiros, agentes de viagens e empresas de animação turística que assistem a um forte investimento em promoção por parte de outros destinos que, em algumas circunstâncias, competem com a Região no mercado.
As onze concorrentes foram a ‘Euro RSCG Lisboa/Euro RSCG II Design/MPG’, ‘Ativism’, ‘MyBrand/Nova Expressão’, ‘TBWA/OMD/WIZ’, ‘OPAL/Executive Média’, ‘Brandia Central’, Draft-FCB’, ‘COMEO’, ‘JWT’, ‘Fischer/Blus Consulting(Carat/innovagêncy’ e a ‘Young & Rubicam’.
Definiu-se, à partida, que os factores que determinariam o critério de adjudicação seriam a equipa concorrente (10%); a estratégia que apresentava para atingir os fins pretendidos (25%); a criatividade na promoção da imagem Açores (25%); a forma como a campanha era distribuída pelos Órgãos de Comunicação Social (25%); e o Orçamento (15%).
As propostas de todos estes concorrentes não preencheram os requisitos exigidos no caderno de encargos e, por isso, foram excluídas, de harmonia com o júri do concurso presidido pela presidente da Associação do Turismo dos Açores, Ana Cristina Neto Ávila, e constituído ainda por Paulo Lopes Mendes e Márcia de Lurdes Espínola da Cunha Caneira.
Em suma, as onze propostas “violam”, em diversos aspectos, alguns dos quais comuns a algumas delas, as normas previstas no contrato de adjudicação.
O caderno de encargos foi considerado “demasiado complicado e exigente” com condições “extremamente difíceis de assegurar” mesmo por empresas especializadas de grande prestígio como são algumas das que concorreram.
No ‘relatório preliminar’ do júri do concurso são explicadas, em pormenor, as razões técnicas que fundamentam a exclusão de cada um dos concorrentes.
O documento admite a possibilidade de se adjudicar por negociação directa a ‘Campanha de Comunicação do Destino Açores 2010-2012’.
Todos estes procedimentos têm os seus ‘timings’ próprios, levando a um adiamento do início da campanha numa altura em que o destino atravessa dificuldades de afirmação nos seus mercados tradicionais.
Por outro lado, está a ser posto em causa por alguns sectores, mesmo no seio do governo, o facto de se atribuir a uma empresa ou consórcio de empresas, em toda a dimensão (estratégia de comunicação, produção, planeamento e compra de meios) a imagem do destino Açores nos próximos dois anos.

O que se pediu aos concorrentes

Pretendeu-se com a consulta obter propostas “estratégicas, criativas, de produção e planeamento de média, numa perspectiva de comunicação integrada, para através de uma campanha de comunicação a três anos, reposicionar o destino” Açores nos mercados da Alemanha, Reino Unido, Escandinávia (Dinamarca, Noruega, Suécia); Estados Unidos da América (Nova Inglaterra – Massachusetts, Rhode Islands, New Hampshire, Maine) e Canadá (Ontário e Quebec) e Portugal Continental.
Estabeleceu-se que o resultado da campanha “tem de representar o crescimento da notoriedade do destino Açores, traduzindo-se num acréscimo anual de turistas dos mercados emissores, como também da prática de actividades no arquipélago”.
O objectivo delineado é o de “preservar a atractividade do destino a quem nos visita actualmente, e incrementar a procura, tornando-nos progressivamente conhecidos e relevantes para quem valoriza uma oferta mais activa e experiencial, recorrendo aos produtos estratégicos mergulho, pedestrianismo, golfe, observação de cetáceos, vulcanologia e ‘Meeting Industry’.”
Definiu-se que o tom de comunicação da campanha “deve ser fortemente humanizado e relacional, pretendendo-se” que se identifique os Açores “como um destino dinâmico e alegre, recorrendo a referências do entretenimento local (diurno e nocturno).
Uma das orientações é a de que o modo como cada público-alvo é trabalhado “deverá ter em conta que os Açores são um destino a 12 meses: apostar em segmentos menos diferenciados em época baixa (a exemplo dos seniores), e mobilizar mercados com maior pretensão ao consumo para a época alta, (a exemplo das famílias, turismo activo), abrindo espaço para o enquadramento e valor num binómio mercado/consumo”.
“Segmentos com volume potencial como o Activo e Corporate, deverão ser priorizados de acordo com a época de maior propensão ao consumo de actividades,” preconiza-se.
O caderno de encargos apresentado a concurso público considera “importante reter” que a capacidade instalada em todas as ilhas dos Açores, “mesmo prevendo novas unidades hoteleiras, não permite ser um destino massificado, sendo desta forma necessário trabalhar os mercados onde se encontrará, progressivamente, maior valor, desenvolvendo para o público em geral uma proposta de exclusividade e para os segmentos, a diferenciação”.

Onde vão ser gastos os milhões

Novo turista deve ter entre 20 e 35 anos e ser muito activo

Uma parte importante dos 30 milhões de euros que os Açores pretendem investir em três anos vão ser gastos no rejuvenescimento do turismo açoriano. Pretende-se mobilizar turistas com idade entre os 20 e os 35 anos que gastem no arquipélago mais 50% do que o previsto e, apesar disso, deixem a Região satisfeitos e capazes de influenciar os amigos.

Pelo que estabelece o caderno de encargos, “pretende-se que os Açores sejam um destino com um ADN muito forte, de elevada notoriedade e altamente desejado” para se conseguir “diminuir o impacto sazonal entre o Verão e as restantes estações” e “rejuvenescer o mercado alvo, tornando o destino mais atractivo para um tido de turista com idade etária inferior, sem, no entanto, diminuir o mercado mais sénior”.
Com “o cumprimento dos objectivos” definidos pelo caderno de encargos “pretende-se atingir um turista mais novo e sofisticado (entre os 20 e os 35 anos), que veio à procura de produtos turísticos específicos (experiencial, activo, natural), ficou uma semana e esteve em duas ou três ilhas”.
Um turista jovem que termine as suas férias nos Açores “com a sensação de ter gasto mais 50% do que previa inicialmente (mas não se importa porque dá o dinheiro por bem empregue)”.
Turista jovem que “queria muito ter ficado mais três a quatro dias, jura que tem de voltar” aos Açores e regressa à sua terra natal com “enorme entusiasmo e cheio de histórias para contar aos amigos e fotografias para mostrar”.
Estabelecesse, a propósito, que o valor da marca Açores, “ao ampliar a sua oferta para um Turismo de Natureza/Activo, apresenta um elevado potencial na diferenciação e relevância”.
Contudo, a opção de compra do destino Açores pelo público-alvo mais jovem tem o preço como barreira. Os jovens olham os Açores como uma proposta de “valor financeiro elevado quando comparado com um destino mais ‘trendy’ como, por exemplo, Espanha, Grécia ou até em alguns casos as Caraíbas”.
“Esta barreira financeira, acompanhada por uma necessidade de ser um destino que valha a pena contar aos amigos, leva a que o consumidor opte por uma alternativa” aos Açores.
Aliás, os Açores são percebidos no mercado como um destino “caro” ao nível de um destino de média distância. “Contudo”, lê-se no caderno de encargos, “a programação desenvolvida por operadores de volume apresenta um preço altamente competitivo, ao nível da Madeira ou até mesmo do Algarve”.
O documento releva, a propósito, que “muito do ‘pricing’ percebido é mal interpretado, pois por vezes inclui mais do que uma ilha e o custo inter-ilhas é significativo”.
Realça-se, em sequência, que a “percepção de ‘princing’ mais elevado tem evitado a transformação do destino Açores num destino de massas, o que não é uma desvantagem”.

Fonte: Correio dos Açores

Se nenhuma das referidas agências, na sua maioria multi-nacionais de referência, não conseguiu respeitar os parâmetros do caderno de encargos, que agência o fará?

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Brasil 2014 - Logo

Foi apresentado o logo do Mundial 2014, que decorrerá no Brasil.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Remember #16



Spot televisivo do detergente extra. Anos 70.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Skoda - Mais espaço para a sua vida

Ambient marketing da Skoda para comunicar o modelo Roomster.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Have a break... Have a Kit Kat

Have a break... Have a Kit Kat

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Polo Mints - selo de neve

Em Dezembro de 2009 o Reino Unido ficou coberto com um espesso manto de neve. Estavam criadas as condições ideais para a Polo fazer esta acção de ambient marketing.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Melo Abreu - Especialíssima

Campanha da Melo Abreu para (re)lançar a Especialíssima. Um revivalismo/revitalismo que traz nostalgia a muitos açorianos consumidores de cerveja.

Imagem retirada daqui.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Car One - Inheritance